Copy



informativo
# dezembro de 2016

DESTAQUE DO ACERVO

Nascido em 1908, Vicente Rao foi uma grande figura do Carnaval, do futebol e da história da cidade de Porto Alegre. Trabalhou como aprendiz em uma relojoaria, foi sargento do exército, bancário e em 1927 começou a participar ativamente do carnaval na cidade. Foi criador e "ditador" de blocos famosos , sendo mais conhecido o “Tira o Dedo do Pudim!”. Semanas antes da folia, Rao escrevia comunicados para serem publicados em jornais, como o abaixo: 

Ó meu amor
Não faz assim
Eu sou o bloco
Tira o Dedo do Pudim!


Foi conhecido como Folião nº1 da cidade e, em 1950, foi eleito Rei Momo, tendo exercido esse cargo por 22 anos seguidos. Ganhou inúmeras premiações e recebeu diversas homenagens. Já no futebol, Rao teve destaque no Sport Clube Internacional: jogou no time principal, criou as primeiras escolinhas de futebol e, principalmente, foi o criador da “Camisa 12”, a primeira torcida organizada do Brasil. Foi Rao que levou a folia e animação dos blocos de carnaval, com suas serpentinas, confetes e foguetes para as arquibancadas dos estádios de futebol. Em 1957, passou a ser também o Papai Noel oficial da cidade. O desfile derradeiro de Rao pelas ruas de Porto Alegre foi em 1973, quando ele passou a ser integrante definitivo do imaginário da cidade. 

Parte de seus adereços e fantasias carnavalescas foi doada por Rosina Rao Mendes na década de 1980. Além disto, um numeroso acervo fotográfico está disponível para pesquisa na Fototeca Sioma Breitman. 

Foto: Arthur Becker.
 
MUSEU RECEBE SELO DE ACESSIBILIDADE

 
 
Ocorreu no dia 1º de dezembro a cerimônia de entrega do Selo de Acessibilidade, uma parceria entre a Secretaria Municipal de Acessibilidade e Inclusão Social (Smacis) e o Conselho Municipal dos Direitos das Pessoas com Deficiência (Comdepa).
 
O selo é conferido pela Smacis a estabelecimentos de Porto Alegre que assegurem a acessibilidade parcial (ambiente, elementos e equipamentos, entre outros), tendo como base o decreto nº 15752 de 5 de dezembro de 2007. Para receber a premiação, o imóvel passa por fiscalização para comprovar que está em conformidade com critérios de acessibilidade (Decreto Federal nº 5.296, de 2 de dezembro de 2004) e a ABNT-NBR 9050.
                                                                                                                   
Acessibilidade no Museu
 
O nosso setor de acessibilidade realiza visitas especializadas para o público com deficiência visual. Em 2016, recebemos a doação do material desenvolvido na pesquisa de doutorado de Eduardo Cardoso, no curso de design da UFRGS. A exposição de longa duração “O Solar que virou Museu – memórias e histórias” dispõe de audioguia com leitura de texto e descrição de imagens, além de catálogo em braille. O edifício é adaptado e conta com elevador e banheiro para o público com mobilidade reduzida.
Para maiores informações e agendamento de visitas, entre em contato pelo email 
mbds@smc.prefpoa.com.br .
 
*Com informações do site da SMACIS
 
UMA CIDADE PELAS MARGENS
 
Foi com alegria que inauguramos a exposição temporária “Uma Cidade pelas Margens”, no dia 18 de novembro. Cerca de 300 pessoas visitaram o Museu nesta noite. A mostra relata a trajetória do movimento LGBTT em Porto Alegre. O projeto é uma parceria entre o Museu e o Nuances – Grupo pela livre expressão sexual, a Liga Brasileira de Lésbicas do Rio Grande do Sul (LBL- RS), além do Curso de Graduação em Museologia, do Laboratório de Políticas Públicas Ações Coletivas e Saúde (LAPPACS) e do Programa de Pós-Graduação em História (PPGHIST), todos vinculados à Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Para a abertura, contamos com o apoio da cachaça Chica, das cervejarias Água de Beber e Bárbaros Cervejas Especiais. Confira algumas imagens:

 
Foto: Arthur Becker.
ATIVIDADE PARALELA: DIREITO À SAÚDE E CAMINHOS JURÍDICOS PARA A POPULAÇÃO LGBTT

 

Com o tema Saúde e caminhos Jurídicos LGBTT, a segunda mesa temática conta com a participação de Henrique Nardi e Paulo Leivas, no dia 6 de dezembro, às 17h, no auditório do Museu. O encontro integra a programação paralela da mostra “Uma Cidade pelas Margens”.

Henrique Nardi é médico, doutor em sociologia, professor do departamento e do PPG em psicologia social e institucional da UFRGS e do PPG em saúde coletiva da UFRGS. Coordenador do Núcleo de Pesquisa em Sexualidade e Relações de Gênero e do Centro de Referência em Direitos Humanos: Relações de Gênero, Diversidade Sexual e Raça. Diretor do Instituto de Psicologia da UFRGS.

Paulo Leivas é graduado em Ciências Jurídicas e Sociais pela UFRGS (1993), Mestre em Direito pela UFRGS (2002) e Doutor em Direito pela UFRGS (2009). É Professor do Curso de Mestrado em Direitos Humanos da UNIRITTER/Porto Alegre. É Professor de Ética e Direito UFCSPA. É membro do Ministério Público Federal, em que exerce o cargo de Procurador Regional da República, com atuação na 4ª Região. Desenvolve pesquisas sobre direitos humanos, direitos fundamentais, direitos fundamentais sociais, direito à saúde e direitos sexuais. É membro do Núcleo de Apoio Operacional (NAOP) da 4ª Região da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) e do Grupo de Trabalho Educação Indígena.

Arte: Perseu Pereira.

EDIÇÃO ESPECIAL CINE REFLEXÃO
 
No mês de novembro, o projeto Cine Reflexão contou com a participação do Mestre Moa do Katendê. Baiano de Salvador, compositor, dançarino, capoeirista, ogã-percussionista, artesão e educador, tendo descoberto suas raízes aos oito anos de idade no “ILÊ AXÉ OMIN BAIN” terreiro de sua tia e incentivadora. Foi um dos fundadores do afoxé “Badauê” em maio de 1978. A edição especial em celebração ao mês da Consciência Negra também contou com uma roda de afoxé, antes da exibição de documentários sobre a história destes grupos tradicionais baianos. A última edição do ano do projeto ocorre no dia 9 de dezembro, às 19h, e abordará o tema do Bará do Mercado. A exibição será comentada por Pingo Borel e Cláudio Carle. No mesmo dia, Angelita Hentges apresentará os resultados de sua pesquisa intitulada "Imaginários da cultura brasileira: a educação e a ancestralidade nas rodas de Capoeira Angola. 



Foto: Rosângela Veiga.
BASTIDORES

Você já pensou que além de contar a história da cidade, o Museu possui sua própria história? Colocamos parte dela no nosso site. Lá você encontra matérias em jornais e fotos de antigas exposições, inclusive da primeira sede, localizada na rua Lobo da Costa. Veja aqui!  
 

AGENDE-SE
 
06 de dezembro, terça-feira, às 17h – Mesa redonda paralela à exposição “Uma Cidade pelas Margens”, auditório do Museu

09 de dezembro, sexta-feira, às 19h – Cine Reflexão, auditório do Museu

11 de dezembro, domingo, às 15h – Piquenique Cultural no Museu - edição temática, jardim do Museu

30 de dezembro, sexta-feira – Último dia de visitação da mostra temporária “Uma Cidade pelas Margens”, sala 3 do Museu
 
Copyright © 2016 Museu de Porto Alegre Joaquim Felizardo, All rights reserved.


Want to change how you receive these emails?
You can update your preferences or unsubscribe from this list

Email Marketing Powered by Mailchimp